header-logo

Comunicações de marketing orientadas por inteligência artificial

Isenção de responsabilidade: o texto conforme exibido abaixo foi traduzido automaticamente de outro idioma usando uma ferramenta de tradução de terceiros.


Casamentos em 2022 devem superar em até 15% o ano passado

Jan 14, 2022 6:10 PM ET

O número de casamentos registrados em 2021 foi quase 20% maior em relação ao ano de 2020 e apenas 9,5% abaixo da quantidade de enlaces celebrados em 2019, ano anterior ao da pandemia e da atividade normal do setor nupcial, conforme revelam os dados do Portal da Transparência da Associação dos Registradores de Pessoas Naturais (Apen). O resultado final confirma a expectativa que Casamentos.com.br, marketplace que pertence ao grupo líder mundial no setor de casamentos The Knot WorldWide, vinha sustentando desde o ano passado, indicando uma curva de ascensão depois que a vacinação avançou no país – até o momento, 67,8% da população recebeu duas doses da vacina.

Em 2020, o setor ficou praticamente paralisado até que as adaptações em casamentos como celebrações ao ar livre e casais, convidados e equipe com máscaras se tornaram comuns e conseguiram se enquadrar às restrições impostas pelos governos. Com menos restrições, continuidade da vacinação e a incorporação de novos conceitos no formato dos enlaces, a expectativa é que sejam realizados mais de 1 milhão de casamentos no próximo ano, gerando ao setor um faturamento de até R$ 40 bilhões e atendendo a demanda reprimida dos últimos dois anos. 

Para isso, o crescimento no número de casamentos esperado é até de 15% comparados aos de 2021, mesmo com medidas como a da cidade de São Paulo, que desde o dia 10 de janeiro, passou a exigir a apresentação do passaporte da vacina, independentemente da quantidade de pessoas, em eventos públicos e privados, o que inclui casamentos. “Tudo indica que em 2022 as celebrações continuarão adotando medidas de higiene e segurança, as quais o setor nupcial já está habituado. Mesmo a necessidade do passaporte de vacinação na cidade de São Paulo não deve ser um problema. Nos países onde essa medida já foi aplicada, como Espanha e Itália, a apresentação do passaporte não significou um freio para os casamentos. O mesmo deve ser visto no Brasil”, Juliana Gallo afirma a diretora de vendas da América Latina.

Nova fase dos casamentos inclui os enlaces de casais VIPs

A pandemia e o confinamento criaram um clima especialmente favorável para compromissos: momentos de reflexão, de ver a vida de maneira diferente, de enfocar o essencial e de passar mais tempo a dois. Mas nos últimos anos, casais – especialmente os famosos – evitaram expor, comentar ou realizar noivados e casamentos por conta da situação global. Agora – com a nova fase das celebrações adaptadas – mais casais “VIPs” estão anunciando compromissos.

No Ano Novo de 2021 ficaram noivas, por exemplo, as atrizes Marcella Rica e Vitória Strada, depois de quase dois anos de relacionamento. Assim como elas, no Brasil, 21% dos casais que optam pelo noivado antes do casamento, o fazem depois de 1 a 3 anos de relação, conforme mostra pesquisa feita por Casamentos.com.br, marketplace que pertence ao grupo líder no setor nupcial The Knot WorldWide, com 1.263 noivos que utilizam a plataforma para organizar o casamento. 

Ainda conforme o mesmo estudo, 25% dos noivados acontecem depois de 4 a 6 anos de namoro; 24% de 7 a 9 anos de relacionamento; 25% depois de 10 a 15 anos e apenas 5% depois de 15 anos de relação. 

Outros dados da mesma pesquisa que indicam que os famosos mais próximos do altar este ano também entram nas estatísticas. É o caso por exemplo de Lívia Nascimento e o cantor, ator e ex-BBB Babu Santana, em um pedido celebrado com a presença dos filhos dele. Assim como Babu, um de cada 5 casais já têm filhos no momento do casamento, seja com o parceiro atual ou com o anterior. Esse também é o caso de Zezé Di Camargo, que anunciou o noivado com Graciele Lacerda, no último Dia dos Namorados.

Se o noivado é o primeiro passo dado por muitos casais subirem ao altar, tudo indica que 2022 deve ser o ano de muitos casamentos. A maioria dos casais que busca com o registro legal respondeu que, ao casar, pretendem dar um passo adiante na história de amor (64%). Mas como podiam votar em mais de uma opção de resposta, surpreende que 34% dos casais casem para poder viver juntos, um dado nos mostra um elemento cultural que contrasta com outros países. No México, essa é a realidade de 23% dos casais e, na Espanha, de apenas 2%.

Em média, os brasileiros levam um ano organizando o casamento. Para 86% dos casos trata-se do primeiro casamento de ambos, revela também a pesquisa de Casamentos.com.br.


iCrowdNewswire
Tags:   Portuguese, Wire