header-logo

Comunicações de marketing orientadas por inteligência artificial

Startups brasileiras vivem ascensão em 2020 e 2021

Aug 16, 2021 7:05 PM ET

O mundo vem mudando diariamente, são diversos fatores que refletem esses caminhos. O ambiente digital passa por diversas alterações, sempre surgindo algo novo em algum lugar, que naturalmente é replicado para as demais localidades, devido à globalização.

Com os serviços bancários não é diferente, são várias mudanças e é natural que todos se adaptem a elas. De acordo com o portal Exame, em matéria publicada em novembro de 2020, os maiores bancos do país fecharam mais de mil agências cada, devido à diminuição dos serviços presenciais na pandemia e indo de encontro ao crescimento do meio digital para os bancos. Hoje em dia, é cada vez mais constante o surgimento das chamadas fintechs, uma junção dos termos financial technology. Com isso, os serviços bancários continuam iguais, porém, de forma digital e com taxas muito mais baratas.

“Os fundadores das fintechs, por vezes, foram clientes insatisfeitos em relação à forma como um serviço financeiro era prestado. Ao criarem uma startup financeira, eles buscaram resolver essas dores e, por isso, redesenharam a jornada da contratação de um produto ou serviço pelo ponto de vista do usuário, tornando toda a experiência mais agradável, barata e conveniente”. Afirma Bruno Diniz, presidente do Comitê de Fintechs da ABStartups, em entrevista à Alta Books, no lançamento de seu livro “O fenômeno Fintechs”.

Em dezembro de 2020, conforme divulgado pelo InfoMoney, baseado em estudos do Distrito, o setor teve um crescimento de 34%, gerando aportes que beiram 1 bilhão de dólares, baseando-se nos dados colhidos até o mês de setembro do mesmo ano. Com isso, as startups financeiras viveram seu melhor ano em toda a história. Aliado ao crescimento dos bancos digitais, no final do ano passado, o Banco Central disponibilizou o Pix, sistema de pagamentos instantâneos capaz de realizar transações em poucos segundos, de forma gratuita para pessoa física. De acordo com a Febraban, até março deste ano, as operações via Pix já representavam 30% das transações bancárias realizadas no Brasil.

Assim, é cada vez menos necessário que as pessoas saiam de suas casas para realizarem algumas transações financeiras, já que boa parte delas estão disponíveis nos serviços digitais. Isso tende a facilitar a vida cotidiana e evitar toda a burocracia envolvida em um atendimento presencial de um banco físico. Além da comodidade que um banco digital disponibiliza, a segurança das operações também não deixa a desejar, pois os comprovantes são emitidos da mesma maneira e ficam disponíveis por um grande período dentro do aplicativo, caso seja necessário resgatá-lo.

Dentro dessa nova realidade, a LiveOn Solutions, empresa voltada a tecnologia financeira, com sede no interior de São Paulo e escritório na capital, vem acompanhando essas inovações, com um crescimento de 400% em seu quadro de funcionários, passando de 15 para mais de 80 durante o período de pandemia. Além de contar com mais de 70 fintechs parceiras da empresa, segundo seu CEO Lucas Montanini.

Com o passar dos anos, as pessoas terão cada vez mais total controle de suas vidas, sem transtornos com deslocamentos e mais uma série de fatores. Os serviços bancários tendem a seguir o mesmo caminho, se transformando de maneira avançada junto às mudanças que a tecnologia proporciona.

Os novos tempos estarão focados em unir praticidade com segurança, cabe às empresas acompanharem todas as novidades que o mercado proporcionará, a fim de dar continuidade a essas migrações dos clientes de instituições financeiras para os bancos digitais.


iCrowdNewswire
Tags:   Portuguese, Wire